Share →

Porque falar sobre dinheiro? Neste blog já foi mencionado alguns assuntos que envolvem as forças e virtudes dos seres humanos como criatividade, esperança, otimismo e felicidade. O dinheiro não é uma virtude em si, mas pode ser um meio para levá-lo à excelência em diversas áreas da vida. Com ele podemos comprar pertences (casa, carro, televisão), cuidar da nossa saúde (praticar esportes, sessões de massagem, alimentação saudável), conhecer novas pessoas e lugares (visitar países), ajudar na prosperidade da sociedade (investindo em saúde, educação, tecnologia, moradia, meio ambiente), e aprimorar a nossa carreira (através de cursos e intercâmbios profissionais).

Contudo, para que o dinheiro seja algo realmente bom, você precisa estabelecer uma boa relação com ele. Pergunte-se: Você quer dinheiro? A maioria das pessoas respondem que querem ter dinheiro, aliás querem muito dinheiro. No entanto, muitas delas não estão preparadas para ter abundância financeira. No geral, as pessoas não se perguntam o que o dinheiro significa para elas e acabam, muitas vezes, estabelecendo uma relação negativa com ele. Porém, para chegar ao sucesso financeiro é preciso ter consciência disso. Responda agora: Ele é um meio ou um fim? Ele serve para fazer o bem? Ele te deixa tranquilo? Ele está sendo empregado corretamente? Você é escravo dele ou ele é seu empregado? Caso você não saiba responder essas perguntas, é preciso repensar se você quer realmente ter dinheiro.

Crenças

Ao longo da vida vamos construindo crenças sobre dinheiro. Algumas pessoas ouvem a vida inteira que desejar muito dinheiro é pecado, dinheiro em demasia é ganância, dinheiro torna as pessoas fúteis e mesquinhas. Além daquelas que ouvem que ter muito dinheiro é injusto com as outras pessoas. Essas crenças vão sendo enraizadas e isso gera um entrave psicológico na conquista do dinheiro (Eker, 2006). Pessoas com esse tipo de crença acabam por perder o dinheiro que ganharam, porque no fundo sentem-se culpadas ou mesmo “erradas” por terem conseguido tanto dinheiro.

Um passo importante para entender suas crenças é pensar nesses três elementos:

  1. O que você ouvia sobre dinheiro;
  2. O que você via as pessoas fazerem com o dinheiro;
  3. Quais foram suas experiências com dinheiro.

Esse exercício é importante para que você adquira consciência de quais registros você mantém em sua mente a respeito do dinheiro. A partir da tomada de consciência sobre suas crenças você pode começar a agir.

Não é preciso ter medo do dinheiro, o que é necessário ser feito é passar pelo autoconhecimento. Concentre-se em saber suas crenças, entenda o que você pensa sobre o tema, como se relaciona com ele, como se sente quando gasta e quando poupa. Com essas respostas você conseguirá montar um plano de ação e começará a planejar-se.

Dinheiro traz felicidade?

Dinheiro pode trazer felicidade sim! Essa é uma questão há muito tempo levantada e até hoje alimenta fervorosas discussões. Mas o que as pesquisas dizem? Em 2010 o psicólogo Ed Diener e seus colaboradores realizaram uma pesquisa com 136 mil pessoas e verificaram que dinheiro não melhora o humor, mas pode elevar a satisfação com a vida. É válido ressaltar que as pessoas sentem-se mais satisfeitas com a vida, mas apenas dinheiro não basta para ser feliz. Outros fatores como família, amigos, relacionamento amoroso, valores (confiança, cooperação), sensação de segurança, espiritualidade entre outros, também são muito importantes para o ser humano se considerar feliz.

Devemos entender também que pode haver declínios na satisfação ao longo da convivência com uma grande quantia de dinheiro, principalmente se a pessoa não está preparada para lidar com ele. Como muitas histórias que ouvimos, há pessoas que se desorganizam ao receber uma grande quantia em dinheiro. Estudos realizados com vencedores da loteria constataram que eles não eram mais felizes do que as pessoas que nunca ganharam na loteria. Muito dinheiro pode trazer grandes problemas se a pessoa não estiver totalmente consciente de suas ações. Elas podem começar a gastar em coisas que muitas vezes nem precisam. Muitas largam o emprego, “trocam” de amigos, mudam de cidade e acabam por perder sua rede social e de apoio. Isso pode acontecer em função de algumas crenças existentes (preciso me mudar senão vou ser assaltado, as pessoas vão se aproximar de mim só pelo meu dinheiro, agora nunca mais vou trabalhar), de um mal planejamento financeiro, ou mesmo por uma ausência de planejamento financeiro.

Dinheiro é bom sim!

O dinheiro é bom sim, ele permite você alcançar objetivos, fazer o bem, melhorar a qualidade da sua vida e das demais pessoas ao seu redor, enfim melhorar o mundo como um todo. O dinheiro multiplica as suas oportunidades e o que você faz com ele é sua responsabilidade e diz respeito ao que você é. O dinheiro, por si só, é um pedaço de papel ou metal que a sociedade nomeou como elemento de troca. Portanto, ele não transforma ninguém ele apenas potencializa aquilo que você já é, assim como qualquer outra forma de poder. Caso você seja uma pessoa boa, você conseguirá fazer mais bondades com mais dinheiro e vice-versa.

Após conseguir compreender sua relação com dinheiro e decidir conscientemente que você quer dinheiro, o momento agora é você começar a poupar e definir suas opções de investimento. Existem muitas, de menor a maior risco e que se encaixam melhor ao seu objetivo. É importante estar atento a isso, nem sempre você vai se sentir confortável com todas as opções de investimentos. Escolha aquela na qual atenda sua meta de lucratividade e que lhe proporcione sentimentos de confiança, conforto e tranquilidade. O importante é você ser feliz e saber que isso pode acontecer com muito dinheiro no bolso também!

Abs,

Sabrina Ferraz

Referências:

Diener, E., Harter, J. N. W., & Arora, R. (2010). Wealth and happiness across the world: material prosperity predicts life evaluation, whereas psychosocial prosperity predicts positive feelings. Journal of Personality and Social Psychology, 1(99), 52-61.

Eker, T. H. (2006). Os segredos da mente milionária. Rio de janeiro: Sextante.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *